Reconhecendo o discriminador

Nada como um post depois do outro
Escrevi que a sociedade protege o discriminador mantendo-o invisível.
Dias depois a imprensa do centro* do país divulga duas notícias expondo-os.
Ao deputado federal Luiz Carlos Heinz do Partido Progressista-RS.
Por ter recebido o “Prêmio Racista do Ano’  da ONG Survival.

Decorrente da sua afirmação que “…quilombolas, índios, gays, lésbicas, tudo que não presta…”.

premio-racismo1_screen

Ao jornalista Ricardo Noblat por estar sendo processado pelo Ministro Joaquim Barbosa por crime racial.
Qual a importância de que se conheça quem são os discriminadores?
Sempre que se reconhece o causador do sofrimento humano pode-se neutralizá-lo e/ou prevenir novas ações.
Não importa se o sofrimento é causado por um virus ou por outro ser humano.
A sociedade como um todo e a Ciência devem reconhecer/estudar o agente do sofrimento.
Para quem acompanhou a ofensa racial ao juiz de futebol Marcio Chagas e o seu julgamento.
A história da punição ao clube seria diferente se os discriminadores fossem identificados.
Se isto ocorresse, seriam eles e não o clube punido.
Em consequência da ação de racistas no futebol campanhas são feitas.
Contra o racismo e não visando os racistas.
E assim é em todos continentes e essas ocorrências seguem se repetindo.
Talvez campanhas p. se identificar torcedores racistas sejam mais efetivas.
Pois certamente são conhecidos entre seus pares.
Antes que pratiquem atos que prejudiquem seus clubes.
E não causem sofrimentos maiores nos discriminados.

*Até o momento a grande imprensa do RS não divulgou essas duas notícias.

Telmo Kiguel

Médico, Psiquiatra, Psicoterapeuta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *