Por que cervejeiro é empresário e dono de “boca de fumo” é traficante?

A insustentável blindagem aos fabricantes de álcool.

A Revista Forbes apresentou uma lista dos 10 bilionários mais jovens do Brasil em 2015. Na lista tem o

Gilberto Schincariol – R$ 2,2 bi;
Adriano Schincariol – R$ 3,57 bi;
Alexandre Schincariol – R$ 3,57 bi.

Duas coisas me chamaram a atenção:

Como estes caras conseguiram ganhar tanto dinheiro? Esta cerveja é horrível ao ponto de eu preferir beber água mineral; e
que luta contra as drogas é esta onde os três jovens bilionários ficaram bilionários vendendo álcool – que é grande responsável por acidentes de trânsito e quase sempre presente em casos de violência doméstica?
É inadmissível que num país onde a guerra contra as drogas tire tantas vidas e jogue outras milhares em cadeias a gente aceite o sorriso na cara das pessoas que ficaram bilionárias com o fabrico, uso e consumo de uma droga. Pois, afinal de contas: a briga é contra as drogas ou para manter a droga X legalizada e a Y não?

Ainda não vi uma justificativa plausível para que o álcool seja legalizado e pessoas fiquem ricas com ele, e a maconha – e as demais outras drogas – seja criminalizada.

Assim, me parece que fabricante de cerveja é empresário e dono de “boca de fumo” é traficante. Por que não tratamos os dois como empresários ou os dois como traficantes? Certo, o dono da cervejaria não pode ser traficante porque a cerveja é legalizada. Aí voltamos ao ponto inicial: por que a cerveja é?

Resumo: o problema não é fabricar, vender ou consumir a droga; o problema é não ter o lobby. Mesmo porque, né? Não é raro a gente ver, com cara de ressaca, promotor denunciando e juiz aceitando a denúncia e mandando maconheiro pra cadeia.

cerveja-3

Fonte:
http://wagnerfrancesco.jusbrasil.com.br/artigos/237531442/por-que-cervejeiro-e-empresario-e-dono-de-boca-de-fumo-e-traficante

Textos correlatos:

Mulheres e drogas: relações pessoais, sociais e tratamento.
Freiras que plantam e fumam maconha e a indústria farmacêutica
Fabricantes de bebidas alcoólicas e indústria farmacêutica contra a legalização da maconha
O experimento uruguaio e a guerra perdida contra as drogas
A Indústria Farmacêutica, os “homicídios involuntários” e os “cadáveres nos armários”.
“Mídia e publicidade influenciam nos transtornos mentais”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *