Machismo explicito e dissimulado

Nota do blog:

Em Medicina quando se quer fazer Prevenção, a primeira providência é definir/diagnosticar o agente causador da doença e/ou do sofrimento humano.
No caso seria a Psiquiatria definir a Conduta Discriminatória Machista (CDM) e o Machista.
Para o Direito a CDM é criminosa e o Machista é um criminoso.
Ocorre que, em geral, o Machista não se reconhece como agente causador de sofrimento mental e/ou físico.
E só vai ser obrigado a aceitar que sua Conduta é problemática quando for indiciado e/ou condenado pela Justiça.
Até isto ocorrer, certamente, ele pode já ter causado muito sofrimento humano.
Inclusive por não ter sido informado/alertado pela Psiquiatria que a sua Conduta, mesmo sendo sutil/disfarçada seria um Sintoma e/ou Doença.
Até agora sabemos que a educação formal e criminalização não previnem discriminação.
Mas nada impede que as mulheres fiquem conhecendo os vários tipos de ação dos Machistas.Iceberg

Textos correlatos:
Condutas discriminatórias precisam de diagnóstico compatível com o crime, defende psiquiatra
Uma nova entrevista sobre Discriminação: “O melhor caminho é a prevenção”
Violência sexual: uma apologia discriminatória
Machismo e assédio sexual na atividade política
Políticos machistas “descobrem” a violência de gênero

Escolas chinesas querem debater sexo, igualdade de gênero, abuso e homossexualidade. No Brasil, quem não quer?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *