“Sou racista, não posso controlar”.“Quero saber o que passa na minha cabeça.”

                 “Não consigo controlar o meu racismo”, diz Day McCarthy

“Sou racista, mas não posso controlar”. Autointitulada socialite, Day McCarthy diz que não pretende pedir desculpas, mas cogita procurar tratamento

dmcDay McCarthy foi entrevistada por Roberto Cabrini

Day McCarthy, que proferiu ofensas raciais contra Titi, filha do ator Bruno Gagliasso e de Giovanna Ewbank, em um vídeo na internet, conversou com Roberto Cabrini em uma entrevista para o SBT.

Dayane Alcântara Couto de Andrade, que se autointitula socialite, disse que não pretende pedir desculpas à família, mas que gostaria de se arrepender.

“Eu sei que estou errada. Sei que sou racista, mas é uma coisa que eu não posso controlar, é uma coisa que eu não sei como controlar, como não ser racista”, disse.

“Quero sentar e ter uma conversa comigo mesma”, disse, antes de garantir que planeja procurar ajuda psicológica. “Quero saber o que passa na minha cabeça.”

Ao ser questionada se deveria pagar pelo que fez, ela diz: “Se eu for condenada, sim”.

Day ainda usou a ocasião para dizer que espera que Titi, daqui a dez anos, não tenha conhecimento das ofensas ditas contra ela. O programa vai ao ar neste domingo, na Retrospectiva SBT 2017.

O caso

No dia 26 de novembro viralizou na internet o vídeo em que Day chama Titi de macaca, enquanto destila outras ofensas.

No dia seguinte, Gagliasso procurou a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro, e prestou queixa contra a mulher por injúria racial.

Fonte: Pragmatismo Político
Textos correlatos:
As Discriminações são abordadas de forma diferente nas “paróquias brancas e negras”
Condutas discriminatórias precisam de diagnóstico compatível com o crime, defende psiquiatra
As discriminações e o desrespeito aos direitos humanos devem ser prevenidos e definidos como doença
Síndrome do Distúrbio Racial: seria um bom diagnóstico para o racista brasileiro? E para o antissemita?
Sou racista, mas estou pronto para mudar
Racista, doente mental, condenada e inimputável

1 comentário em ““Sou racista, não posso controlar”.“Quero saber o que passa na minha cabeça.””

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *