Possessões demoníacas, psiquiatras, exorcistas e charlatões

Críticos apontam que a comunidade LGBT e pessoas com problemas psiquiátricos podem estar sendo vítimas de charlatões, camuflando uma forma de abuso espiritual, que os convencem de uma suposta possessão demoníaca.

exo

A mão do Diabo: Instalação artística de Arnaud Labelle-Rojoux.Centre Pompidou / Centre Pompidou    

 Possessões demoníacas fazem Vaticano organizar curso de exorcismo

O jornal britânico The Guardian desta sexta-feira (30/3/18) noticia que o Vaticano vai organizar, em abril, um curso de exorcismo para preparar novos padres para atuar na “crescente onda de possessões demoníacas”.

A Associação Internacional de Exorcistas (AIE), entidade reconhecida pelo Vaticano, que representa mais de 200 religiosos católicos, anglicanos e ortodoxos, alerta: estamos diante de uma “emergência pastoral”.

Na Itália, segundo a AIE, o número de pessoas que alegam estar possuídas triplicou para 500 mil nos últimos doze meses, enquanto na Irlanda, os padres informam que a quantidade de pedidos de exorcismo tem crescido exponencialmente.

Indústria do exorcismo

Segundo o instituto cristão de pesquisas Theos, baseado na Grã-Bretanha, o número de exorcismo tem crescido, sobretudo, nas igrejas pentecostais.

Alguns padres, no entanto, advertem que a prática do exorcismo pode camuflar uma forma de abuso espiritual. Críticos apontam que a comunidade LGBT e as pessoas com problemas psiquiátricos podem estar sendo vítimas de charlatões, que os convencem de uma suposta possessão demoníaca.

Exorcismo oficial

O curso oferecido pelo Vaticano, entre 16 e 21 de abril, focará no exorcismo e na oração da salvação, uma oração tradicionalmente dita em casos de possessão demoníaca.

“A luta contra o Mal começou na origem do mundo, e deve durar até os fins dos tempos”, disse o padre Cesare Truqui ao Vatican News. “Mas agora estamos num momento crucial da história: poucos cristãos acreditam na existência do Diabo, poucos exorcistas são formados e não há mais jovens padres interessados em aprender a doutrina e a prática da redenção das almas”.

O próprio papa Francisco já disse que, se um padre tomar conhecimento de um caso “genuíno de distúrbios espirituais, ele não deve hesitar em contatar a diocese, transferindo o caso para aqueles que foram treinados na prática do exorcismo”.

Abusos espirituais

De acordo com um relatório da Theos sobre Cristianismo e Saúde Mental, o aumento de pedidos de exorcismo na Grã-Bretanha tem sido registrado, sobretudo, “entre imigrantes africanos que frequentam as igrejas pentecostais, que oferecem serviços de exorcismo”.

O autor do relatório, Ben Ryan, aponta que as igrejas carismáticas e pentecostais chegam a anunciar o exorcismo na fachada das suas sedes.

“Alguns cristãos estão tratando doenças mentais como se tudo se tratasse do espírito. Assim, quando alguém diz ao pastor que está sofrendo de depressão, o pastor pode pedir à pessoa que se cure através da oração ou, em caso mais extremos, pelo exorcismo”, explica Ryan.

A falta de religiosos treinados para a prática do exorcismo tem levado a um crescente número de amadores e charlatões na Europa, que se oferecem para livrar as pessoas do capeta, cobrando-lhes até € 500 por uma sessão de exorcismo, segundo a revista britânica The Economist.

Fonte: RFI
Textos correlatos:
A igreja ressuscita sua guerra contra a ideologia de gênero
Psiquiatras continuam debatendo a saúde mental de Trump
O Estado Laico trata melhor a todas religiões do que um Estado Teocrático
O Transtorno de Personalidade Narcisista e a geração “floco de neve”
Algumas questões que você deveria saber como seu médico pensa
Despediu-se do psiquiatra deixando como lembrança um paralelepípedo em cima da mesa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *